Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 18 de dezembro de 2010

discos/eps nacionais 2010

marcelo jeneci, feito pra acabar
apanhador só, apanhador só
superguidis, superguidis 3
do amor, do amor
nevilton, pressuposto
mombojó, amigo do tempo
cerébro eletrônico, deus e o diabo no lidiquificador
loomer, coward soul
thiago pethit. berlim, texas
giancarlo ruffato, machismo

discos/eps internacionais 2010

arcade fire, the suburbs
the national, high violet
amusement parks on fire, road eyes
neil young, le noise
belle and sebastian, write about love

domingo, 5 de dezembro de 2010

não quero mais esse papel de cara legal
meu cabelo é quadrado, gosto do cafona
se não faltar dinheiro
vou beber e amar até

sábado, 4 de dezembro de 2010

livre

tudo isso pra você
tão cafona
de coração
de brincadeira
sem atos
sem lua
sem se preucupar

um molhado

sinto a chuva
ela sim, sabe viver
não escolhe onde cair
nem pra quem, nem porque
só cai, só molha

inimigos

e o que mais são as coisas
do que elas mesmas
estão enjoados de saber

outras estrelas
pequenos chuveiros
vários pelados
brincando de deus

zum, zum, zum

quanto desespero
um pobre timido
desbravando
seu coração perdido

amor, amor, amor

a complexidade
que ela me fez sentir
ela não sabe
mas eu a amei

ando afogado
anos luz longe

a vida pode se revelar duas vezes
vou te arrastar até onde
cometendo o mesmo erro

domingo, 31 de outubro de 2010

e quando a vida
faz-se entreter
procure mais
transparecer

mais um gole
até encher
não deixo me mais
entristecer

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

tudo sozinho

todos esses lugares
as latas, a melancolia
tudo sozinho

vejo brigas, beijos, chatiações
eu realmente não sei
tudo sozinho é melhor?

eu desejo alguémpra beijar
que me tire pra dançar
pra sujar a roupa

esperar tudo sozinho

sábado, 18 de setembro de 2010

no name

pensar me preocupa
e não da pra viver carregado
esse peso nas minhas costas
já encheu o saco

eu não quero mais motivos
só quero sentir o cheiro
a vida

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

09/09/10

cabeça quadrada
levitando nas nuvens

o céu não permite
o vento muda
te derruba

sexta-feira, 30 de julho de 2010

burrice

confesso que sou meio burro
olho pra semente e vejo árvore
óleo que me desprende e mata

30/07/2010

Encontrei minha mãe no mercado, estava na ala de chocolates e enquanto ela olhava o me disse: ''tenho que sair daqui' olhando pro fim do corredor, pensei a mesma coisa. Um repentino frio na barriga, a batida desesperada do meu coração. conhecia aquela sensação. Sai andando rapidamente pelo mercado procurando algo pra fingir que não tinha visto, que nada estava acontecendo, comecei a rir da minha própria infantilidade. Estava com medo de fantasmas, meu coração ainda estava disparado.
Fui até os refrigerantes, confusão de desejos passava pela minha mente. A parte escondida do meus pensamentos pedia pra sair correndo e gritar e pedir pra aquilo parar e voltar comigo pra casa e amendrotar todos meus inimigos pela rua, mas oviamente apenas vi-o saindo pelo fundos. desapontado comigo mesmo.

terça-feira, 27 de julho de 2010

208/2010

mãos no rosto
um pouco de maldade
meus desejos de homem branco*
eu não posso contê-los

super-estimado
uma hora e meia de liberdade
te deixa com vontade de lutar
16 horas de horas para se esforça
e ser um humano comum sem metas, sem lugar nenhum
começando a vida a cada dia


*uma passagem do on the road, kerouac.

domingo, 18 de julho de 2010

hey caralho
afinal, eu posso me divertir sozinho

sábado, 10 de julho de 2010

pernas grossas
brancas
ô, virei ao contrário
minha cabeça foi a de baixo

quarta-feira, 30 de junho de 2010

sinto saudade de quando eu vinha aqui
e falava de coisas sinceras
não sei, de quando era gostoso escrever
agora só parece um peso morto
como eu me tornei

Deus não deve gostar muito de mim
deve ser pelas coisas que faço
mas eu vou lá fazer o que

domingo, 27 de junho de 2010

amorforsale

em 60's já cantavam que ninguém pode comprar o amor
mas estamos nos anos 00's, então é claro que você pode
me ofereça um beijo, me ofereça sua vida
faça esse investimento
não prometo te dar nada em troca agora
mas logo vai perceber o que foi você pro meu coração
me ofereça seu amor
que eu me entregarei pra você

sexta-feira, 18 de junho de 2010

desconheço esse texto sobre mim que acabei de escrever pois me tornei egoísta e amargurado e não percebi a merda que virei -um dia vou renascer como jesus- e meus textos voltarão a ter sentido pra mim

quinta-feira, 10 de junho de 2010

hahahahaha

hahahahaha
Um moleque confuso, uma bicicleta e histórias frustrantes e bizarras envolvendo garotas, um tanto de insegurança, esforço, bebidas, música e amigos.

- bom dia
- bom dia, respondeu o sujeito em tom de mal humor.
- são as notinhas lá do mercado, que o senhor ficou de passar lá pra acertar.
- amanhã, amanhã passo la. e fechou a porta com raiva.

Com sua bicicleta rangendo, ia tranqueira pela cidade atrás dos clientes nó cegos do mercado que trabalhava. odiava tal trabalho mas era obrigado por sua pobre consciência cristã que aquilo seria recompensado um dia. Então, sempre que podia dava algumas escapadas para dormir em casa ou ia até os colégios pra espiar as garotas saírem da escola e quem sabe ganhar um sorriso que ele não ia corresponder, já que era mais cagão que moleque de prédio/condomínio.

Era em no apartamento do Sr.Sanches a sua próxima cobrança.

- Edificio Golden soundz, Ap 306. Sr José Sanches de almeida. falou ele baixinho, em tom de desaprovação. Tranqueira odiava ir nesses prédios de gente rica e ar de desprezo, sempre pensava que as pessoas desses lugares o achavam um pobretão, burro e sem futuro - o que elas, talvez, não estivessem mentindo - mas isso realmente era coisa da sua cabeça. Chegou no endereço, trancou sua bicicleta no poste ao lado da entrada do prédio, tirou seus fones e abriu a porta. Se deparou com o porteiro, um homem de barba grossa e alaranjada e um boné de baseball.
- boa tarde, gostaria de saber se o Sr. sanches do apartamento 306 ta em casa?
- opa, olha ele está sim mas acho que não pode receber o senhor agora. tem uns homens em sua casa e ele me pediu que ninguém o interrompe-se.
- mas eu só preciso deixar um recado por baixo da porta, é o suficiente. Por favor senhor porteiro.
- tudo bem, vai lá. mas por favor, volta rápido

Tranqueira saiu em disparada em direção ao elevador, encontrou uma senhora dentro do elevador com uma garota que parecia a mina do filme o grito, mas enfim, chegou perto da porta do 306 e começou a escrever o recado pedindo que o sujeito fosse até o mercado pelo menos até o fim da semana, mas quando foi colocar o recado por baixo da porta, tranqueira sempre loser, conseguiu tropeçar no tapete e cair empurrando a porta e aparecer dentro da casa do cara e descobrir o que ele e suas visitas andavam fazendo: cassino sexual.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

das minhas propriedades

to sem assunto
vou escrever aqui
pra comprovar
que sou sentimental

sexta-feira, 28 de maio de 2010

nenhum dia em minha vida

ah cara, eu ando vendo o mundo
ele está girando, oh yeah
corro e sempre
sou o único caído
morto no verão
morto no inverno

eu não me vejo mais
thom sempre esteve certo

domingo, 25 de abril de 2010

to esquentando

que pena que saudade dói
que bom que da medo
pelo menos é você
imagina se fosse sonho

domingo, 18 de abril de 2010

Marx, e o coração partido.

Como marx já dizia o motor da história era a luta de classes, eu ferrenho marxista assino em baixo. but não venho aqui me comparar ou falar sobre marxismo e etc. Eu como mero filósofo de buteco venho trazer um suposto motor da história, o coração partido.
Nessas conversas de fim de noite, falava com um amigo o quanto garotas, pessoas em geral se transformam ao ver seu coração partido. Nosso jeito loser de ver o mundo não desmente nossa teoria que um coração partido te faz agir de forma diferente, que após o triste ocorrido sair de uma tosca alienação tal qual nos faz reproduzir padrões postos por pessoas de outra classe em busca de agradar a razão de nossos sonhos. E torno a dizer, não venho comparar essa esdrúxula teoria a qualquer pensamento marxista e nem modificar, explicar, o qualquer coisa do tipo do nosso amigo comunista.
Enfim, só quero que pense, caro amigo loser. um coração partido faz ou não ações, atitudes em nossa pequeno cotidiano (ou não) que de forma ou de outra modificam a história e logo toda uma realidade.

dois dias sem tomar banho, feliz e com vontade de transar. semana de provas, muito estudo pouco social e claro sem muita internet. até mais!

quarta-feira, 24 de março de 2010

força positiva de imposição da rotina

Estou de férias e ando com muito tempo pra pensar e como não estou fuderosamente apaixonado, não tem nenhuma garota lindinha influenciando meu ato de conjeturar. fica até mais fácil. enfim, acabei vendo como a vida acaba sendo tomada de convenções e o que eu chamei de: força de imposição da rotina, ou seja, como a rotina que costumeiramente odiamos, chamamos de merda e etc faz falta. exemplos, passamos anos enchendo o saco da mamãe pra faltar a escola, dizemos que odiamos aquela porcaria, mas quando nos formamos vivemos sonhando com os tempos de bagunça de colégio e nessas férias tenho sofrido com isso, por mais estranho que seja, quero voltar aquela correria de ir trabalhar, chegar voando, comer e tomar banho em meia hora e já ir pra faculdade, dormir no busão e só voltar meia noite. você que está lendo isso não sabe o quão é lindo, tirar 8/10 numa prova depois de três meses fazendo isso e estudando na madrugada da semana de provas. vejo muita gente falando de felicidade e tal, felicidade é convenção ainda pra mim, quando ela me for natural eu faço um post sobre o que senti. por enquanto felicidade é igual esforço pra mim. ou sábado a noite com os amigos bebendo qualquer merda ou vendo filmes no quentinho do meu quarto. hehehe
Atualizando recomendações/o que estou ouvindo: filmes, into the wild, casablanca, quando setembro vier. bandas: tenho ouvido muito o elliott smith (*achava ele um tanto quanto bored e hypado, até tinha tentado ouvir no passado. mas dei uma segunda chance, e além dos hypes ele é bom pra cacete. recomendo, mas ouça com atenção, se puder no seu mp3 antes de dormir ou andando de ônibus), teenage fanclub com indicações do flavio silva (sonicflower)mais recente e do fernando(passosmaldados) que já tinha me falado alguma coisa há algum tempo atrás.
E ah recomendo o blog da hq de produção independente do meus amigos nerds aqui de mandaguari que estão lançando o segundo número da cotidiano contínuo. Se alguém tiver interesse e quiser dar uma sacada na história, nos caras e os vários elogios já recebidos de mídias especializadas pode entrar conferir blog deles clicando aqui e baixar o cotidianocontínuo #1, é de graça, só clicar aqui

quinta-feira, 18 de março de 2010

renata, ingrata.

costumeira e ingrata
te acerta pelas costas
mas na madrugada, até tu memória
se aceita

lavanderia sentimental

mágoas lavadas
amores passados
sentimentos secos
dobrados na gaveta

terça-feira, 16 de março de 2010

sem título

Olá amigos, tempo que tenho essa conversa tão próxima com vocês nessa budega, mas garanto que não vai demorar muito. estava enjoada do outro layout fiz umas pequenas mudanças e fodam-se se vocês não gostaram.
Vou começar meu primeiro conto, tá bem tosco, vou fazer uma pequena e até simplista introdução da história que se passa na terra, obviamente, logo depois do pseudo fim do mundo em 2012 que gerará uma nova realidade em que os que permaneceram acumularam dinheiro vendendo as terras férteis que restarão e combustível única energia restante do planeta. eis, o conto:

Ano de 40 pós 2012. O mundo passava por uma forte geada, que congelava até as áreas mais quentes da terra. Pedro era um burguês dono de uma gigantesca indústria petro-química que dominava o mundo de combustíveis. Tinha 56 anos, seus pais tinham morrido na tragédia da era passada, deixando um enorme buraco na sua vida por nunca te-los amado e demonstrado isso como devia. vivia em uma grande mansão cinza, de pequenas janelas e ar agradável no lado oeste da cidade.
Seu rosto fechado e seus olhos densos e fundos davam o tom da solidão que se encontrava. sentia falta de sua mãe, de sua infância, de seus amigos e sua introspecção tinha matado tudo que um dia tinha desejado,duvidava de suas cobiças, possuía um fantasma dentro de si mesmo, só a bebida o subvertia. E nesses dias ele preferia se trancar em sua casa, para não se arrepender mais tarde de seus atos. Pobres homens perdidos e ingênuos que escondem seus ódios.
Aos 23, pedro, conheceu Estelle uma garota alta e de cabelos longos e escuros, de personalidade forte mas simpática e alegre como um borboleta. desde a primeira conversa, ela era tudo que havia na mente desse homem solitário. Sempre se encontravam caminhando pelas ruas do bairro em horários estranhos como na madrugada ou bem cedo, esses hábitos já chamavam atenção de pedro e em uma dessas noites com Estelle algo muito estranho aconteceu, pedro em uma carta descreveu a situação assim: "o dia que minha razão se elevou ao escuro do futuro, em um momento tive a visão que poderia me dar tudo que precisava ou o vazio do tempo e dor sem volta e sem companhia.

continua, pelo menos eu espero.
p.s:aceito dicas, criticas sinceras e etc

sexta-feira, 12 de março de 2010

crêr

tudo é uma armadilha
se você cai e acredita

pensar me deprime

pensar me deprime
ócio confuso demais pra mim
sorrisos, comprimentos, conversas
teima, calma.

não sei se são meus óculos que andam sujos
ou se é a própria humanidade que não sabe representar
eu sei que preciso da tosca -autoafirmação-
mas ainda não me escondi por inteiro

coisas novas, coisas velhas.
já disse Deus, eu não quero relembrar.

sábado, 6 de março de 2010

viver -sem- pra sempre

se tornou difícil
vir a ser
se torna difícil
conseguir falar
o quão ainda difícil é
sem você

sábado, 13 de fevereiro de 2010

vida

bem mais que um sopro
além de alguma compreensão

descomplique.
diriam ceticismo
mas quem quer saber

estamos aqui
estamos lá
ainda não nos cobram
podemos viver

domingo, 31 de janeiro de 2010

expectativas/realidade

com se diz: amor
me lembro, era junho

dois copos vazios
papéis rasgados

sorrisos, música alta
vontade de entender o que seria
respirar, fazer parte de alguém

palavras tristes balbuciadas
por ninguém

domingo, 17 de janeiro de 2010

bazar

tudo que falo
tudo que vejo
guardado

estou deixando
tudo vendo
todo coração

quem pegar
jogue fora
é mentira

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

arrastando

arrastado
como acreditar

desconfie
de seus amigos
do leite

eu me viro
sumindo
arrastando